+

Impactos da Covid-19 e a criatividade nos negócios

Rodrigo
29 de Julho de 2021

Cenário

A partir de 2020, a pandemia de Covid-19 proporcionou em escala global alterações profundas no comportamento das pessoas e das organizações. Visando coibir a disseminação do vírus para proteger os cidadãos, autoridades promoveram a restrição de circulação das pessoas, o chamado lockdown.

Assim sendo, no Brasil foram mantidas as atividades consideradas essenciais, tais como: saúde, alimentação, abastecimento, segurança, financeiras, dentre outras, para garantir serviços imprescindíveis à população.

Por outro lado, no tocante à suspensão das atividades consideradas não essenciais, o impacto foi direto na economia, tendo como consequências demissões principalmente nas micro e pequenas empresas, capacidade financeira deficitária para honrar pagamentos, e até mesmo o fechamento de lojas, resultado: o caos inesperado!.


Ações mitigadoras

Apesar das restrições de consumo, medidas mitigadoras dos impactos socioeconômicos foram adotadas para manter a economia funcionando, estimular a continuidade das atividades do empresariado e a manutenção do emprego. Seguem algumas delas:

• Estímulo ao teletrabalho, antecipação de férias individuais, concessão de férias coletivas, antecipação de feriados, utilização de banco de horas, e adiamento do recolhimento do FGTS;

• Ampliação de lista de produtos com Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) com alíquota zero;

• Disponibilização de crédito em condições diferenciadas a micro, pequenas e médias empresas;

• Isenção do Imposto para Operações Financeiras (IOF) para operações de crédito por 90 dias;

• Instituição do auxílio emergencial destinados a trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados.


Análise

A oferta de crédito em condições especiais e em caráter emergencial serviu de apoio a empresas com deficiência de recursos, para sobreviver no mercado, bem como manter seus colaboradores em atividade.

O auxílio emergencial ajudou a movimentar a economia, facilitando à população consumir principalmente itens básicos, com destaque para a alimentação.

Para contrapor as restrições de inúmeros lockdown, que afetaram diretamente o funcionamento do comércio, após um ano e em paralelo com as ações mitigadoras, observa-se também que a criatividade do mundo dos negócios foi uma resposta importante para diminuir os impactos da pandemia.


Casos de sucesso
A criatividade emergiu em vários setores. As organizações tiveram que se reinventar para gerarem vendas. Por exemplo, vendedores do segmento varejista passaram a atuar por meio do atendimento remoto. Por meio de seus contatos de negócios, focaram em prestar serviços mais personalizados.
Com o crescimento das entregas delivery, destaque para o ramo alimentício, surgiram novas variedades de pratos a preços diferenciados.

Clínicas readequaram seus serviços mediante o agendamento dos horários, com atendimento de dedicação exclusiva.

Salões de beleza aderiram à praticidade dos combos com descontos, o que estimulou os clientes comprarem os serviços de forma antecipada, ou seja, para usufruírem dos serviços quando os estabelecimentos reabrissem.

Como destaque, o incremento das vendas online floresceu nas mídias sociais da internet, principalmente via aplicativos, seja de produtos ou de serviços. Em tais mídias, sob a ótica do consumo as promoções e fretes competitivos foram diferenciais para os clientes, motivando uma ampla sinergia entre empresas e consumidores, portanto, fonte de estímulo à continuidade dos negócios.


Reflexão

Percebe-se que a criatividade realmente fez a diferença para os empreendimentos comerciais, como o surgimento de novas possibilidades de vendas e agregando oportunidades de crescimento profissional. Por exemplo, quem não detinha experiência com mídias digitais pôde realizar cursos online para entender as novas tecnologias e técnicas de divulgação e assim prestar serviços direcionados ao atual contexto em que vivemos.

Reinventar-se é a ordem do dia. Professores, educadores físicos e profissionais liberais, antes com atividades exclusivamente presenciais, tiveram que se adaptar à prestação de serviços online.

Surgiram novas oportunidades de fortalecimento de imagem e da marca das empresas, inclusive com a divulgação de ações de responsabilidade social no combate ao Covid-19, no tocante a arrecadação de alimentos, roupas, campanhas de divulgação e prevenção da doença etc.

O setor de logística, de forma destacada, foi muito exigido a fim de atender com maior agilidade clientes cada vez mais sedentos por bens diante das dificuldades de comprá-los fisicamente. Novas formas de pensar o consumidor, utilizando bases de dados confiáveis, refletiu maior conhecimento de seus comportamentos e, possibilitou elevar o volume de vendas a novos patamares.

Depois que a crise relacionada aos efeitos da pandemia se for, diante das abordagens comerciais adotadas nesse momento, os negócios poderão atingir outros níveis de relacionamento com o consumidor e novos empreendimentos surgirão com mais benefícios à sociedade. Seu negócio estará preparado para enfrentar esse novo patamar? O que seu empreendimento aprendeu e continua a aprender com a pandemia?


Riccardo Sales
Mestrando em Administração de Negócios em Neuromarketing
Flórida Christian University
riccardosafs@yahoo.com.br





Comentários


Inserir Comentário









Divulgue notícias sobre a nossa região
>>   Publicar Notícia